Gestão Ambiental e Assessoria Estratégica de Sustentabilidade

A responsabilidade ambiental deixou de ter apenas característica compulsória para transformar-se em atitude voluntária. Situar-se acima de exigências legais, mediante sistema de gestão ambiental, deixou de ser apenas uma estratégia preventiva para constituir-se mesmo em vantagem competitiva e diferenciada no mercado. Isto porque as melhorias introduzidas (novos processos e tecnologias) decorrentes do ajustamento da empresa a níveis mais elevados de qualidade ambiental frequentemente resultam no uso mais racional e produtivo de insumos, reduzindo os custos de produção. Além disso, as mudanças podem gerar novas oportunidades de negócios. A curto prazo, em relação aos países desenvolvidos, a gestão ambiental responde à existência de barreiras à aceitação de produtos ambientalmente inadequados, e à atitude de militância dos consumidores dispostos a pagar mais pelos ecoprodutos. A economia brasileira caracteriza-se por elevado nível de desperdício de recursos energéticos e naturais. A redução desses desperdícios constitui verdadeira reserva de desenvolvimento para o Brasil e fonte de bons negócios para empresas e entidades decididas a enfrentar o problema.
A base para a adoção desses instrumentos voluntários de controle ambiental foi o conceito de desenvolvimento sustentável que emerge do "Relatório Brundtland, nosso Futuro Comum", de 1987: a busca simultânea de eficiência econômica, justiça social e harmonia ecológica.
Mais que um conceito, o desenvolvimento sustentável é um processo de mudança, onde a exploração de recursos, a orientação dos investimentos, os rumos do desenvolvimento ambiental e a mudança institucional devem levar em conta as necessidades das futuras gerações.

  • Avaliação Ambiental Estratégica (avaliação dos impactos socioambientais de forma integrada)

As análises ambientais de um projeto ou empreendimento estão voltadas para identificar, do ponto de vista ambiental, qual a melhor alternativa de localização geográfica e/ou tecnológica de um dado empreendimento ou projeto.
A legislação brasileira vigente determina que os estudos de impacto ambiental (EIA) realizem estas análises para efeito do licenciamento ambiental. No caso dos EIA, essas análises são efetuadas com base em macroindicadores das ameaças e oportunidades ambientais passíveis de ocorrência a partir da implantação do empreendimento.
Contudo, investidores que buscam maior segurança para realizar o aporte de capital em algum projeto demandarão análises mais aprofundadas, uma vez que reduzirão seus custos operacionais e interferências desinteressantes.
Qualquer projeto pode ser tratado para ser desenvolvido e ser operado em padrões sustentáveis ou auto-sustentáveis. Desde um projeto de cunho puramente ecológico, até um projeto industrial ou de extração mineral, por exemplo, onde a apropriação e a transformação de recursos ambientais está presente.
Quando se fala em Desenvolvimento Sustentável, o termo Desenvolvimento sempre está associado a todas as fases da vida do empreendimento, ou seja, concepção, viabilidade, projeto, implantação, operação, produção, avaliação de resultados, ampliação, manutenção, aprimoramento e eventual desmobilização. Significa dizer que os processos de gestão ambiental precisam estar presentes e ativos durante toda a sua vida, desde a fase de concepção do empreendimento até o seu encerramento, se for o caso.
Além da economia, da busca de minimização de dispêndios, a proposta de autosustentabilidade está associada a uma permanente preocupação com o vizinho, considerado tanto no espaço, quanto no tempo. Ela é uma ordem de continuidade, de viver e deixar viver, de otimizar o compartilhamento de recursos relativamente escassos com os demais usuários, considerando que esses recursos são muitas vezes sensíveis aos processos de transformação que lhes são impostos.

  •  Responsabilidade Social Corporativa (projetos de responsabilidade social e programas de desenvolvimento comunitário)

GVS – Geração de Valor pela Sustentabilidade; GAV – Gestão da Água e Valor; GCV – Gestão de Carbono e Valor – serviços realizados em parceria com a ATA Consultoria.

  • Elaboração de Relatórios de Sustentabilidade (GRI)

Elaborar relatórios de sustentabilidade é a prática de medir, divulgar e prestar contas para stakeholders internos e externos do desempenho organizacional visando ao desenvolvimento sustentável. Relatório de sustentabilidade tem como objetivo descrever os impactos econômicos, ambientais e sociais de uma organização. Esse tipo de documento oferece uma descrição equilibrada e sensata do desempenho de sustentabilidade da organização relatora, incluindo informações tanto positivas como negativas.

  •  Sistema de Gestão Ambiental / ISO 14000 / GDA (Gestão do Desempenho Ambiental)

A implementação de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) constitui estratégia para que o empresário, em processo contínuo, identifique oportunidades de melhorias que reduzam os impactos das atividades de sua empresa sobre o meio ambiente, de forma integrada à situação de conquista de mercado e de lucratividade.
A adesão voluntária das empresas às certificações ambientais e a indicadores e códigos de liderança setoriais é a fase mais avançada do processo de incorporação da variável ambiental aos negócios. Agindo assim, essas empresas adequam-se a patamares acima das exigências legais do momento, garantindo vantagem competitiva duradoura.
A série ISO 14000 reúne normas internacionais que estabelecem regras para que as empresas possam implantar Sistemas de Gestão Ambiental, com a finalidade de reduzir desperdícios, quantidade de matéria-prima, de água, de energia e de resíduos usados e obtidos durante o processo de produção, tentando dessa forma minimizar os impactos ambientais e estar de acordo com a legislação ambiental. A ideia central dos Sistemas de Gestão Ambiental é usar menos para produzir mais e com melhor qualidade.

  • Gestão de Resíduos

A gestão de resíduos objetiva não só a redução mais a diminuição dos impactos advindos da disposição dos mesmos.
- Redução da produção de resíduos
- Reutilização / Reciclagem
- Determinação dos métodos de disposição final:
  • Aterro sanitário 
  • Compostagem 
  • Outros

  • Auditoria Técnica Ambiental (Due Diligence; Auditoria de SGA)

As auditorias são ferramentas de melhoria de sistemas de gestão. Os programas de auditorias ambientais são formas de verificar e avaliar, sistematicamente, se os resultados estão de acordo com as disposições planejadas, se estas foram implementadas de forma eficaz e se são adequadas ao cumprimento dos objetivos ambientais da empresa.
As auditorias também são importante na avaliação ambiental estratégica, determinando os passivos ambientais existentes (due diligence).

  • Planos e projetos ligados à gestão ambiental municipal integrada 

Assessoramos os municípios na implantação da sua política de meio ambiente, incluindo a criação, capacitação ou fortalecimento do órgão ambiental, Conselho municipal de Meio Ambiente e fundo municipal.
Também auxiliamos na elaboração dos vários instrumentos de planejamento, como Plano Diretor, Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica (veja mais em www.pmma.etc.br), Agenda 21 local, Plano de Saneamento e outros planos e programas relacionados ao meio ambiente.